Sem raça definida

Sem raça definida (SRD): O termo vira-lata felizmente é cada vez menos usado. Isso porque para substituir esse nome que hoje é um sinonimo para “vagabundo”, hoje temos o termo Sem raça definida (SRD).

A mudança de nome ajudou a estabelecer a tendência crescente para a popularização do vira-lata no Brasil.

Sem raça definida (SRD)

Vira lata, hoje o Sem raça definida (SRD).

Vira-lata ou rafeiro (no português europeu) é a denominação dada aos gatos ou cães sem raça definida, SRD (Sem Raça Definida), como são geralmente referenciados em textos veterinários.

O termo vira-lata deriva do fato de muitos desses animais, se abandonados, serem comumente vistos andando famintos pelas ruas revirando latas de resíduos em procura de algum tipo de alimento.

A ditadura das raças com Pedigree fez com que estes gatos formidáveis fossem desprezados por muitos anos. Hoje o cenário é outro, e o SRD vem conquistando cada vez mais “status”.

Sem raça definida (SRD): Menos doenças genéticas?

Geralmente os gatos SRD são mestiços, descendentes de diferentes raças. Tal fato só melhora a genética desses animais, ajudando-os a ter mais resistência contra tumores cancerígenos, por exemplo. O problema é quando o animal é oriundo de cruzamentos dentro da mesma família, implicando em mais chances de desenvolver uma doença genética.  

Muitos estudos demonstraram que animais sem raça definida tem uma natural vantagem de saúde. Um estudo feito na Alemanha conclui que “cães mestiços necessitam menos de tratamento veterinário”.

Estudos na Suécia encontraram que “cães mestiços tem menor tendência a desenvolver muitas doenças em relação a um cão normal de raça definida”. Dados da Dinamarca também sugeriram que a mistura de raças produz animais com maior longevidade, se comparados a animais de raça definida. 

Sem raça definida (SRD) – o que é afinal?

Em outras palavras, os SRD, são todos os gatos e cães que não têm origem definidas em um pedigree, que é um certificado emitido por entidades oficiais atestando a ascendência do animal. 

Laranjinhas. Fotos de gatos

Entidades certificadoras exigem verificação de ninhada e mais recentemente a aplicação de microchips por veterinários. O animal pode ter a aparência de um cão de raça mas só o certificado atesta. Hoje, com o avanço dos exames de DNA, provavelmente há possibilidade de se definir se um gato é de uma determinada raça ou não, mas são exames ainda caros.

Se houver qualquer mistura de raça (incluindo a cruza de dois animais de raça ou um de raça e um vira-lata) esse animal já será considerado um SRD.

Um dos muitos aspectos interessantes do SRD é a sua variedade. Encontram-se SRDs de todas as cores e tipos, de todos os temperamentos.

Ainda existem algumas características, como o fato de que costumam ser muito inteligentes e afetuosos, variando de acordo com as características herdadas. Normalmente o SRD resgatado das ruas tem um temperamento mais dócil, companheiro e vigilante que os outros cães.

Embora o Sem Raça Definida esteja cada vez mais valorizado, ainda estamos muito longe do que esse animal merece. É preciso combater o abandono, com a adoção e a castração. Vamos tirar esses animais magníficos das ruas?

Comentários do Facebook